Semana do Calçado está com inscrições abertas

O site da Associação Brasileira das industrias de Calçados( Abicalçados ) informa:

“Pelo terceiro ano consecutivo, Novo Hamburgo/RS terá uma programação especial voltada ao setor coureiro-calçadista. Neste ano, a Semana do Calçado estará maior. Até porque não será mais apenas uma semana, e, sim, oito dias com atividades entre 16 e 27 de setembro. Algumas das iniciativas realizadas pelas entidades do setor já estão com as inscrições abertas pelo site www.semanadocalcado.com.br. Em oito dias, sete atividades foram programadas pelo IBTeC e pelo Sebrae, em parceria com a Abicalçados, Assintecal, Abrameq, CICB, Fenac e Couromoda. O presidente-executivo do IBTeC, Paulo Griebeler, comenta que esta é uma oportunidade única para o setor, promovendo a competitividade e sustentabilidade.

Atividades desta edição
16 de setembro (domingo), IBTeCHDay, das 8 às 19 horas – O IBTeC traz mais uma inovação para sua maratona de desafios tecnológicos, o IBTeCHDay. Agora, o evento aceitará inscrições de todo o Pais, e as participações poderão ser feitas no formato on-line.

18 e 19 de setembro (terça e quarta-feira), Materioteca Original By Brasil, das 13h30 às 17 horas – Tem como objetivo apresentar materiais dos associados da Assintecal, auxiliando empresas na busca por novos fornecedores e inspirações para as coleções. Os atendimentos serão individuais e agendados, antecipadamente.

19 de setembro (quarta-feira), Seminário Comercial, das 8 às 10 horas – Evento que visa a oportunizar aos profissionais da indústria e do varejo de calçados do Vale do Sinos o acesso a informações sobre os novos conceitos que estão mudando o perfil do segmento produtivo e da venda do calçado, no Brasil e em outros países. O palestrante Ricardo Felipe Lemos falará sobre “Estratégias Inteligentes: transforme dificuldades em vendas”.

24 de setembro (segunda-feira), FF Meeting, das 13h30 às 15h30 – Encontro de entidades representativas do setor coureiro-calçadista e entidades de setores afins, com o objetivo de criar engajamento e debater a Indústria 4.0 no Brasil e no mundo.

25 de setembro (terça-feira), Análise de Cenários, das 18h30 às 20h30 – O objetivo do encontro com lideranças e empresários do setor é debater o cenário econômico, político e social para o mercado em 2019, contextualizando o setor calçadista.  O encontro será conduzido pelo doutor em economia e professor do Programa de Pós-Graduação em Economia da Unisinos Marcos Lélis.

26 de setembro (quarta-feira), Fórum IBTeC de Inovação, das 16h30 às 21 horas – Disseminar a cultura de inovação, a fim de preparar, instigar e inspirar as empresas brasileiras dos setores de calçado, couro, materiais, confecção, têxtil e EPI para o desenvolvimento de novas tecnologias, produtos e serviços, proporcionando diferenciais competitivos para a indústria nacional.

27 de setembro (quinta-feira), FF Exchange (foto), das 14 às 17 horas – O FF Exchange é uma rodada de negócios que tem o objetivo de fomentar relacionamento entre empresas e fornecedores do setor coureiro-calcadista visando a geração de negócios que solucionem os gargalos do setor.

Mais informações e inscrições para os eventos em www.semanadocalcados.com.br.”

 

Referências:“Semana do Calçado está com inscrições abertas ” .    Disponível em:”http://www.abicalcados.com.br/noticia/semana-do-calcado-esta-com-inscricoes-abertas” Acesso em: 30 de Agosto de 2018.

Confira a programação do Seminário Integração e Inovação na Cadeia Produtiva do Calçado – Franca

Resultado de imagem para Confira a programação do Seminário Integração e Inovação na Cadeia Produtiva do Calçado - FrancaO site da Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos informa (Assintecal):

“Franca, em São Paulo, receberá o Seminário Integração e Inovação na Cadeia Produtiva do Calçado: Possibilidades para o aumento da competitividade no Século XXI, no dia 29 de agosto. Com uma programação recheada de cases e palestras sobre os mais diversos temas voltados ao setor, o evento faz parte de um programa de competitividade lançado em maio e tem como objetivo inserir as empresas de componentes de moda e tecnologia, couro e máquinas para calçados e curtumes em uma ação que orienta sobre inovação, novas tecnologias, internacionalização, entre outros.

O seminário é uma ação realizada pela  Assintecal, Associação Brasileira das Indústrias de Máquinas e Equipamentos para os Setores do Couro, Calçados e Afins – Abrameq ,Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos – Apex-Brasil e By Brasil, Components, Machinery and Chemicals, com apoio local Sindifranca (Sindicato da Indústria de Calçado de Franca), Centro das Indústrias do Estado de São Paulo (CIESP) e Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial (Senai de Franca) .

O evento é gratuito e ocorrerá na sede do Senai da cidade.

 

Programação completa:

07:30  RECEPÇÃO –INTEGRAÇÃO INICIAL 

08:00  – 08:15 – ABERTURA DO EVENTO      

08:15 – 08:45 – A IMPORTÂNCIA DA COOPERAÇÃO ENTRE OS ELOS DA CADEIA PARA O AUMENTO DA COMPETITIVIDADE DAS EMPRESAS   

IVAN DE PELLEGRIN – DIRETOR DA PRODUTTARE

08:45 – 09:15 – MODELOS ENXUTOS DE PRODUÇÃO 

MARCELO GUIMARÃES – DIRETOR DE PLANEJAMENTO DA USAFLEX

09:15 – 09:45 – PRODUTOS INTELIGENTES DESENVOLVIDOS PARA A INDÚSTRIA 4.0 

ALEXANDRE BARONI – CONSULTOR DA PRODUTTARE

09:45 – 10:15 – COFFEE BREAK E NETWORKING  

10:15 – 10:45 – INOVAÇÃO COMPARTILHADA –  CASE DA SAZI MÁQUINAS

ISMAEL SGABAROTTO – COORDENADOR DE ENGENHARIA DA MÁQUINAS SAZI

10:45 -11:00 – OS ANTIMICROBIANOS COMO OPORTUNIDADE DE MERCADO – CASES PRÁTICOS

GABRIEL NUNES – DIRETOR PRESIDENTE DA TNS

11:00 – 11:20 – DEBATE E CONSIDERAÇÕES  

IVAN DE PELLEGRIN – DIRETOR DA PRODUTTARE

MARCELO GUIMARÃES – DIRETOR DE PLANEJAMENTO DA USAFLEX

ALEXANDRE BARONI – CONSULTOR DA PRODUTTARE

ISMAEL SGABAROTTO – COORDENADOR DE ENGENHARIA DA MÁQUINAS SAZI

RENATO RAIMUNDO – VICE PRESIDENTE DA ASSINTECAL E PRESIDENTE DA STICKFRAN

MEDIADOR: JOSÉ CARLOS BRIGAGÃO DO COUTO – PRESIDENTE DO SINDIFRANCA

11:20 – 11:50 – INTERNACIONALIZAÇÃO  

ANGELA HIRATA – RESPONSÁVEL PELA INTERNACIONALIZAÇÃO DA HAVAIANAS

11:50 – 12:10 – DEBATES E CONSIDERAÇÕES 

CRISTIAN SCHLINDWEIN – GESTOR DE PROJETOS DA ABICALÇADOS

ILSE MARIA BIASON GUIMARÃES – SUPERINTENDENTE DA ASSINTECAL

JOSÉ FERNANDO BELLO – PRESIDENTE DO CICB

REPRESENTANTE DA ABRAMEQ

MEDIADORA: ANGELA HIRATA

12:10 – 12:15 – ENCERRAMENTO

*Programação sujeita a alterações

Quando e onde:

29/08/2018

07:30 às 12:00

Senai de Franca  – Av. Presidente Vargas, nº 2500 – Cidade Nova, Franca – SP

Para realizar a inscrição, clique aqui 
Inscrições gratuitas

Realização – By Brasil, Components, Machinery and Chemicals, Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos – Assintecal, Associação Brasileira das Indústrias de Máquinas e Equipamentos para os Setores do Couro, Calçados e Afins – Abrameq e Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos – Apex-Brasil.

Organização: Produttare Consultoria.

Apoio local: Sindicato da Indústria de Calçado de Franca – Sindifranca, Centro das Indústrias do Estado de São Paulo – CIESP e Serviço Nacional de Aprendizagem Industrial – Senai de Franca.

Apoio: Associação Brasileira das Indústrias de Calçados – Abicalçados e Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil – CICB 

Patrocínio:

Ouro: Antar Prata: TNS Bronze: Grupo Stickfran, Stk Log e Stk Magazine. ”

Referências:“Confira a programação do Seminário Integração e Inovação na Cadeia Produtiva do Calçado – Franca”.

Disponível em:”https://www.assintecal.org.br/noticias/790/confira-a-programacao-do-seminario-integracao-e-inovacao-na-cadeia-produtiva-do-calcado-francahttp://stickfran.com.br/index.php/adm/blog/editpost/394

Acesso em: 23 de agosto de 2018.

E-commerce norte-americano de olho nos calçados brasileiros

O site da Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos informa (Assintecal):

” A Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) promove, por meio do Brazilian Footwear, programa de apoio às exportações de calçados mantido em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), o Projeto Comprador Vip com o grupo de e-commerce norte-americano Revolve.com. A iniciativa prevê visitas em fábricas e showrooms nas regiões gaúchas do Vale do Sinos e Vale do Paranhana, os dois principais polos de calçados do Brasil, entre os dias 20 e 22 de agosto.

Um dos maiores grupos de e-commerce dos Estados Unidos, oRevolve.com virá ao Brasil em busca de fornecedores de calçados femininos para uma das suas marcas, a Raye. Segundo a analista de Promoção Comercial da Abicalçados, Ruisa Scheffel, o gigante norte-americano busca produtos de maior valor agregado para um público consumidor exigente.

Ruisa conta, ainda, que como o grupo possui uma gama extensa de marcas, o evento pode servir de porta de entrada para mais empresas brasileiras. “Trata-se de um comércio muito forte e relevante nos Estados Unidos, o mais importante mercado de calçados do mundo. O Revolve.com registra mais de 50 milhões de visitas por mês, e com grande conversão em vendas”, conta a analista.

Mercado
Maior mercado de calçados do mundo, os Estados Unidos registram vendas anuais de mais de US$ 80 bilhões, conforme dados da FDRA (associação de distribuidores e varejistas de calçados dos Estados Unidos – sigla em inglês). Quase todo o calçado consumido no país é importado, especialmente dos países asiáticos. Para o Brasil, o país já foi o maior mercado no exterior, tendo sido ultrapassado recentemente pela Argentina. “Os Estados Unidos têm um mercado de grande potencial, mas é muito sensível ao preço, quesito em que é impossível concorrer com os asiáticos. A estratégia do Brazilian Footwear é apoiar a promoção de imagem das marcas e, ao mesmo tempo, sensibilizar as empresas para que desenvolvam produtos diferenciados e que não concorram apenas no preço”, ressalta Ruisa.

Entre janeiro e julho de 2018, os norte-americanos importaram 5,3 milhões de calçados brasileiros, pelos quais foram pagos US$ 85,5 milhões, quedas de 13,5% em volume e de 23,4% em receita no comparativo com igual período do ano passado. Por outro lado, o preço médio do produto é US$ 16, muito acima da média geral, US$ 9.

Participam da iniciativa as marcas Carrano, Viviar, Cristófoli, Luz da Lua, Werner, Tabita, Vicenza, Guilhermina, Dumond, Capodarte, Jorge Bischoff e Smidt Shoes.”

Referências:“E-commerce norte-americano de olho nos calçados brasileiros”.

Disponível em:”http://stickfran.com.br/index.php/adm/blog/editpost/394”

Acesso em: 16 de agosto de 2018.

EM NOVEMBRO, BRASIL REGISTRA QUEDA NAS EXPORTAÇÕES DE CALÇADOS

Resultado de imagem para queda em exportaçoes

O site da Associação Brasileira das industrias de Calçados(Abicalçados) informa:

“Dados elaborados pela Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) apontam que no mês de novembro os calçadistas exportaram 9,88 milhões de pares que geraram US$ 83,43 milhões, números menores tanto em volume (-10,6%) quanto em valores (-0,9%) em relação ao mês 11 do ano passado. No acumulado, de janeiro a novembro, as exportações seguem positivas tanto em volume (+2,1%) quanto em valores (+11,9%) no comparativo com igual período de 2016. Nos 11 meses foram embarcados 109,86 milhões de pares por US$ 973,58 milhões.

Conforme o presidente-executivo da Abicalçados, Heitor Klein, os resultados de novembro ainda são reflexo do encarecimento do calçado brasileiro, que passou de um preço médio de US$ 7,60 para US$ 8,50 entre novembro de 2016 e o mês passado. “Com a valorização recente do real sobre o dólar, nosso calçado ficou com preço menos competitivo, o que tem impacto direto nas exportações, especialmente para países mais sensíveis a preço, caso dos Estados Unidos”, explica o executivo. Os Estados Unidos são o principal destino do calçado brasileiro no exterior e vem perdendo espaço na pauta exportadora nacional desde o início do ano. Entre janeiro e novembro, os norte-americanos importaram 9,88 milhões de pares por US$ 170,18 milhões, quedas de 13,3% em volume e de 12,7% em receita no comparativo com igual período do ano passado.

Equador
Além da queda para os Estados Unidos, Klein ressalta que o valor negativo em novembro ainda é reflexo dos problemas nas exportações para o Equador. Desde setembro deste ano o país vizinho vem sobretaxando os calçados brasileiros, contabilizando uma tarifa de 10% + US$ 6 por par, em função de um problema sanitário das bananas importadas de lá pelo Brasil o que, segundo autoridades brasileiras, impede a liberação das importações pelo risco de contaminação dos bananais locais. “A solução está pendente de negociação, mas o fato é que nossos associados reportaram mais de 500 mil pares e US$ 6 milhões impactados pela medida, sobretaxados na aduana equatoriana”, conta Klein.

Origens
O maior exportador brasileiro de calçados segue sendo o Rio Grande do Sul. Entre janeiro e novembro, os gaúchos embarcaram 25,38 milhões de pares que geraram US$ 406,86 milhões, altas de 0,3% e 6,3%, respectivamente, na relação com igual período do ano passado.

O segundo exportador do período foi o Ceará, que embarcou 41 milhões de pares por US$ 245,82 milhões, altas de 3,4% e 8,5%, respectivamente.

No mesmo comparativo, o terceiro exportador foi São Paulo, de onde partiram 7 milhões de pares que geraram US$ 106,47 milhões, queda de 18% em volume e incremento de 8% em receita na relação com 2016.

Importações
Assim como as exportações, as importações também aumentaram no período compreendido entre janeiro e novembro. No intervalo, entraram no Brasil 22,78 milhões de pares pelos quais foram pagos US$ 323,32 milhões, altas de 8% em pares e de 1,2% em dólares na relação com igual período de 2016.

As principais origens das importações seguem sendo os países asiáticos, que responderam por mais de 90% do total importado.  No período, o Vietnã exportou para o Brasil 10,35 milhões de pares pelos quais foram pagos US$ 179,2 milhões, altas de 8,4% em volume e de 1,9% em dólares no comparativo com mesmo ínterim de 2016.

A segunda origem dos embarques foi a Indonésia, de onde partiram rumo ao Brasil 3,84 milhões de pares por US$ 63 milhões, alta de 1,2% em volume e queda de 9% em receita na relação com o ano passado.

O terceiro maior exportador de calçados para o Brasil foi a China, que embarcou 5,45 milhões por US$ 29,55 milhões, quedas de 1,3% e de 13%, respectivamente, no comparativo com igual período de 2016.

Em partes de calçados – cabedais, palmilhas, solas, saltos etc – as importações chegaram a US$ 38 milhões no período, queda de 0,8% em relação ao mesmo período de 2016. As principais origens foram China, Vietnã e Paraguai.”

Referências:Em novembro, Brasil registra queda nas exportações de calçados, 2017.Disponível em:”http://www.abicalcados.com.br/noticia/em-novembro-brasil-registra-queda-nas-exportacoes-de-calcados” Acesso em: 06 de dezembro de 2017.