E-commerce norte-americano de olho nos calçados brasileiros

O site da Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos informa (Assintecal):

” A Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) promove, por meio do Brazilian Footwear, programa de apoio às exportações de calçados mantido em parceria com a Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos (Apex-Brasil), o Projeto Comprador Vip com o grupo de e-commerce norte-americano Revolve.com. A iniciativa prevê visitas em fábricas e showrooms nas regiões gaúchas do Vale do Sinos e Vale do Paranhana, os dois principais polos de calçados do Brasil, entre os dias 20 e 22 de agosto.

Um dos maiores grupos de e-commerce dos Estados Unidos, oRevolve.com virá ao Brasil em busca de fornecedores de calçados femininos para uma das suas marcas, a Raye. Segundo a analista de Promoção Comercial da Abicalçados, Ruisa Scheffel, o gigante norte-americano busca produtos de maior valor agregado para um público consumidor exigente.

Ruisa conta, ainda, que como o grupo possui uma gama extensa de marcas, o evento pode servir de porta de entrada para mais empresas brasileiras. “Trata-se de um comércio muito forte e relevante nos Estados Unidos, o mais importante mercado de calçados do mundo. O Revolve.com registra mais de 50 milhões de visitas por mês, e com grande conversão em vendas”, conta a analista.

Mercado
Maior mercado de calçados do mundo, os Estados Unidos registram vendas anuais de mais de US$ 80 bilhões, conforme dados da FDRA (associação de distribuidores e varejistas de calçados dos Estados Unidos – sigla em inglês). Quase todo o calçado consumido no país é importado, especialmente dos países asiáticos. Para o Brasil, o país já foi o maior mercado no exterior, tendo sido ultrapassado recentemente pela Argentina. “Os Estados Unidos têm um mercado de grande potencial, mas é muito sensível ao preço, quesito em que é impossível concorrer com os asiáticos. A estratégia do Brazilian Footwear é apoiar a promoção de imagem das marcas e, ao mesmo tempo, sensibilizar as empresas para que desenvolvam produtos diferenciados e que não concorram apenas no preço”, ressalta Ruisa.

Entre janeiro e julho de 2018, os norte-americanos importaram 5,3 milhões de calçados brasileiros, pelos quais foram pagos US$ 85,5 milhões, quedas de 13,5% em volume e de 23,4% em receita no comparativo com igual período do ano passado. Por outro lado, o preço médio do produto é US$ 16, muito acima da média geral, US$ 9.

Participam da iniciativa as marcas Carrano, Viviar, Cristófoli, Luz da Lua, Werner, Tabita, Vicenza, Guilhermina, Dumond, Capodarte, Jorge Bischoff e Smidt Shoes.”

Referências:“E-commerce norte-americano de olho nos calçados brasileiros”.

Disponível em:”http://stickfran.com.br/index.php/adm/blog/editpost/394”

Acesso em: 16 de agosto de 2018.

Instituto By Brasil promove palestra gratuita sobre produtividade

Resultado de imagem para instituto By Brasil promove palestra gratuita sobre produtividadeO site da Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos informa (Assintecal): 

“Clínica é destinada a micro e pequenas empresas e abordará dicas para a gestão do tempo

Gerar conhecimento para empresas da região através de encontros gratuitos é o objetivo das clínicas ofertadas pelo Instituto By Brasil (IBB) em parceria com o Sebrae/RS. Com o tema “Gestão do Tempo para Aumento de Produtividade”, a próxima atividade acontecerá dia 29 de agosto, às 9 horas, na Assintecal, em Novo Hamburgo/RS.
Na oportunidade, o consultor Rodrigo Kayser Schwertner, engenheiro de produção, falará sobre estratégias para uma melhor organização do tempo, dando dicas para análise e priorização das ações, como envolver a equipe e utilizar ferramentas adequadas para auxiliar neste processo.“Nesta clínica iremos refletir sobre o que, de fato, necessitamos fazer em nosso dia a dia para dar conta dos compromissos que firmamos. Focaremos no cotidiano profissional, analisando situações e formas de abordagem. Serão trabalhados quatros passos simples para que o participante aumente a sua produtividade e alcance seus objetivos e compromissos”, destaca o consultor Kayser.
A clínica é totalmente gratuita e destinada a micro e pequenas empresas, sendo obrigatório CNPJ para participar. Inscrições pelo e-mail consultorias@institutobybrasil.org.br, informando Razão Social, CNPJ, nome e CPF do participante, telefone e e-mail.
Quando e onde:
29 de agosto às 9hs
Assintecal – Rua Júlio de Castilhos, 526 – Centro, Novo Hamburgo – RS

Evento gratuito”

Referências:“Instituto By Brasil promove palestra gratuita sobre produtividade”.

Disponível em:”https://www.assintecal.org.br/noticias/780/instituto-by-brasil-promove-palestra-gratuita-sobre-produtividade”

Acesso em: 15 de agosto de 2018.

INSPIRAMAIS – REFERÊNCIAS EM MATERIAIS PARA A INDÚSTRIA DA MODA

O site da Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos informa (Assintecal):

“Um Salão de design que reúne fabricantes nacionais e internacionais de confecção, calçados, joias, móveis e outros segmentos ligados ao Sistema Moda. Mas, afinal, qual motivo faz o Inspiramais ser o ponto de encontro dos criadores de moda mundial?

“O que faz do Inspiramais o único salão de design e inovação de materiais da América Latina e de receber tantas grifes e profissionais de diversos países é que estamos falando de uma construção de produtos que se tornam referências nas produções de roupas, bolsas, cintos, calçados, acessórios, joias e design de móveis. Uma cadeia toda que já alinha uma referência única para êxito do País no mercado nacional e internacional”, comenta Walter Rodrigues, pesquisador e designer, e que responde como coordenador do Núcleo de Design da Assintecal.
Walter completa sobre o evento: “O Salão Inspiramais é ponto de encontro de estilistas e designers de todos os segmentos da cadeia da moda, com muitas empresas prontas para mostrar novos caminhos”.
Inspiramais 2019 II acontece nos dias 17 e 18 de julho, no Centro de Eventos Pró-Magno (Avenida Ida Kolb, 513, Casa Verde), em São Paulo, e apresenta centenas de materiais para as estações de 2019, entre componentes, tecidos, estampas, sintéticos, couros, saltos, enfeites, aviamentos e outros diversos itens.
A entrada é gratuita para profissionais do setor e as inscrições podem ser feitas pelo site www.inspiramais.com.br.
Quem faz: Quem faz: O salão é promovido pela Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos – Assintecal, Serviço Brasileiro de Apoio às Micro e Pequenas Empresas – Sebrae, Associação Brasileira da Indústria Têxtil e de Confecção – Abit, Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil – CICB e Programa de Internacionalização da Indústria Têxtil e de Moda Brasileira – Texbrasil, Brazilian Leather, By Brasil Components, Machinery and Chemicals e Agência Brasileira de Promoção de Exportações e Investimentos – Apex-Brasil, tem patrocínio da Cipatex, Altero, Bertex, York, Grupo Lunelli, Sappi Dinaco, Wolfstore, Caimi & Liason, Brisa, Intexco, Tecnoblu, Britânnia Têxtil, Cofrag, Colorgraf, Endutex, Componarte, Branyl e Berlan e apoio da ABEST, ABICAV, Abicalçados, IBGM, IBB, In-Mod, ABV-Tex, Ápice, Abimóvel e Guia JeansWear by Style WF e Suntex.
Serviço
Inspiramais 2019_II
Data: 17 e 18 de julho
Local: Centro de Eventos Pro Magno (Avenida Ida Kolb, 513, Casa Verde, São Paulo)
Horário:
17/07: das 9h à 20h
18/07, das 09h às 19hs
 Entrada gratuita para profissionais do setor
Inscrições e informações: www.inspiramais.com.br

Fonte: Agência Capsula ”

Referências:“Inspiramais – Referências em materiais para a indústria da moda”.Disponível em:”https://www.assintecal.org.br/noticias/678/inspiramais-referencias-em-materiais-para-a-industria-da-moda” Acesso em: 04 de julho de 2018.

BALANÇA COMERCIAL ACUMULA SUPERÁVIT DE US$ 9,648 BILHÕES ATÉ A SEGUNDA SEMANA DE MARÇO

Resultado de imagem para exportação

O site da Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos informa (Assintecal):

“Brasília –  A balança comercial brasileira teve superávit de US$ 1,977 bilhões na segunda semana de março. O valor é resultado de exportações de US$ 6,808 bilhões e importações de US$ 4,832 bilhões. No mês, as vendas externas somam US$ 6,808 bilhões e os embarques ao exterior são de US$ 4,832 bilhões. No ano, as exportações totalizam US$ 41,089 bilhões e as importações, US$ 31,441 bilhões, com saldo positivo de US$ 9,648 bilhões.

Clique aqui para acessar os dados completos da balança comercial
Mês
Nas exportações, houve crescimento de 11,4%, na comparação da média até a segunda semana de março deste ano (US$ 972,6 milhões) com a de março do ano passado 2017 (US$ 872,8 milhões). O aumento foi causado pelo acréscimo nas vendas das três categorias de produtos: semimanufaturados (19,4%, por conta, principalmente, de celulose, ferro-ligas, açúcar em bruto, ouro em formas semimanufaturadas, zinco em bruto, madeira serrada ou fendida), manufaturados (11,8%, em função de óleos combustíveis, óxidos e hidróxidos de alumínio, aviões, suco de laranja congelado, tubos de ferro fundido, veículos de carga); e básicos (8,9%, causado por soja em grão, farelo de soja, minério de cobre, milho em grão, fumo em folhas, carne bovina).
Nas importações, a média diária até a segunda semana de março de 2018  (US$ 690,3 milhões) ficou 22,7% acima da média de março de 2017 (US$ 562,5 milhões). Nessa comparação, cresceram os gastos, principalmente, com químicos orgânicos e inorgânicos (45,0%), combustíveis e lubrificantes (38,7%), veículos automóveis e partes (30,5%), equipamentos eletroeletrônicos (25,6%) e equipamentos mecânicos (18,5%).

(*) Com informações do MDIC”

Referências:Balança comercial acumula superávit de US$ 9,648 bilhões até a segunda semana de março, 2018.Disponível em:”http://www.assintecal.org.br/noticias/424/balanca-comercial-acumula-superavit-de-us-9648-bilhoes-ate-a-segunda-semana-de-marco” Acesso em: 15 de março de 2018.

TEMER CONVERSA COM PRESIDENTE DO PARAGUAI SOBRE NEGOCIAÇÕES DO ACORDO MERCOSUL-UNIÃO EUROPEIA

Resultado de imagem para Temer conversa com presidente do Paraguai

O site da Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos informa (Assintecal):

“Brasília – O presidente Michel Temer conversou na manhã de hoje (6), por telefone, com o presidente pro tempore do Mercado Comum do Sul (Mercosul), o presidente do Paraguai, Horácio Cartes, para tratar das negociações em torno da conclusão do acordo entre o bloco sul-americano e a União Europeia. A assinatura do pacto comercial entre os dois blocos vem sendo negociada há quase 20 anos e avançou nos últimos meses.

Ontem, Temer tratou do assunto, também por telefone, com o primeiro-ministro de Portugal, Antônio Costa, e com o presidente da Espanha, Mariano Rajoy. Segundo Temer, tanto Costa quanto Rajou deram garantia de que a União Europeia está empenhada em fechar o pacto comercial com o Mercosul.

“Ambos me reiteraram o interesse em vencer as últimas contendas para que o acordo Mercosul-União Europeia seja fechado no menor prazo. Na ocasião, eu também revelei meu empenho nessa direção”, disse Temer em sua página do Twitter.

A previsão inicial do governo brasileiro era de anunciar o acordo durante a Conferência Ministerial da Organização Mundial do Comércio (OMC), realizada no fim do ano passado na Argentina, mas a conclusão das negociações foi adiada para este ano devido a alguns pontos de divergência sobre a comercialização de alguns produtos e para que o bloco europeu analisasse algumas concessões sugeridas pelos países do Mercosul.

O objetivo do acordo é reduzir as barreiras comerciais entre os 28 países da União Europeia e os quatro integrantes efetivos do Mercosul, Brasil, Argentina, Paraguai, Uruguai, além dos países associados. A comissão europeia apontou avanços nas últimas rodadas de negociações e o governo paraguaio espera que o acordo seja pactuado ainda em março.

(*) Com informações da Agência Brasil

Fonte: Comex do Brasil”

Referências:Temer conversa com presidente do Paraguai sobre negociações do acordo Mercosul-União Europeia, 2018.Disponível em:”http://www.assintecal.org.br/noticias/416/temer-conversa-com-presidente-do-paraguai-sobre-negociacoes-do-acordo-mercosul-uniao-europeia” Acesso em: 14 de março de 2018.

EXPORTAÇÕES DE CALÇADOS CAEM NO PRIMEIRO BIMESTRE

O site da Associação Brasileira das industrias de Calçados(Abicalçados) informa:

“As exportações brasileiras de calçados começaram o ano em queda. Conforme dados elaborados pela Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados), no primeiro  bimestre foram embarcados  20,6 milhões de pares que geraram US$ 157,75 milhões, registro que mostra estabilidade em volume e queda de 3,2% em receita gerada na relação com igual período de 2017.

Segundo o presidente-executivo da Abicalçados, Heitor Klein, as exportações que estão chegando às prateleiras no exterior foram negociadas no final do ano passado, com uma desvalorização significativa do dólar frente ao real. “Quando isso acontece, temos dificuldades de formar preços competitivos para o comprador internacional. No Brasil convivemos com uma das maiores cargas tributárias entre os países em desenvolvimento, que oneram a produção e encarecem o produto. Neste ambiente, o câmbio favorável acaba sendo um compensador, o que não vem ocorrendo”, comenta.

Para o executivo, o movimento de queda não deve mudar nos próximos meses. “Se tivermos um suspiro será no segundo semestre, quando serão comercializados os produtos de verão”, ressalta, acrescentando que, diferentemente do ano passado, a “esperança” de dias melhores está no mercado doméstico, que vem em recuperação gradual. “Com o câmbio da maneira que está, com o dólar na casa de R$ 3,20 não temos perspectivas de uma recuperação nos embarques”, comenta.

Destinos
Nos primeiros dois meses do ano, o principal destino do calçado brasileiro foram os Estados Unidos, para onde foram embarcados 1,74 milhão de pares que geraram US$ 23,36 milhões, quedas de 22,6% em volume e de 29,3% em receita na relação com igual período de 2017. “Os Estados Unidos são um mercado muito sensível ao preço. Infelizmente, com o câmbio atual e os altos custos produtivos no Brasil, perderemos ainda mais mercado para os chineses”, aponta.

O segundo destino do bimestre foi a Argentina. No período, os hermanos compraram mais de 1 milhão de pares por US$ 17,16 milhões, altas de 12,3% em volume e de 9% em valores gerados na relação com mesmo ínterim do ano passado.

O terceiro posto dos destinos segue com a França, que no período importou 2,54 milhões de pares de calçados por US$ 16,37 milhões, altas de 50% em pares e de 21,2% em receita em relação ao primeiro bimestre de 2017.

Estados
O maior exportador de calçados, que responde por mais de 40% do valor gerado com embarques, segue sendo o Rio Grande do Sul. No primeiro bimestre, os calçadistas gaúchos exportaram 4 milhões de pares que geraram US$ 69,6 milhões, quedas tanto em pares (-5,2%) quanto em receita (-4%) na relação com 2017.

O segundo maior exportador do bimestre foi o Ceará, de onde partiram 8,88 milhões de pares que geraram US$ 44,43 milhões, um incremento de 11,4% em volume e de 2,4% em receita em relação ao mesmo período do ano passado.

No terceiro posto, São Paulo comercializou com o exterior 894 mil pares por US$ 14,24 milhões, quedas de 29,2% em volume e de 18,3% em receita em relação a 2017.

Importações em alta
Se a valorização do real sobre o dólar atrapalha as exportações, o mesmo não acontece com as importações. “O produto estrangeiro fica com preço ainda mais competitivo e tende a entrar com maior força no varejo brasileiro”, explica Klein.

No primeiro bimestre, o Brasil importou 5,74 milhões de pares por US$ 72,58 milhões, altas de 22,5% e de 18,2%, respectivamente, na relação com igual período de 2017. As principais origens foram Vietnã (2,4 milhões de pares por US$ 42,16 milhões, altas de 26,3% e 19,6%, respectivamente); Indonésia (725,32 mil pares por US$ 12,28 milhões, altas de 17% e 10,3%, respectivamente); e China (1,97 milhão por US$ 7,28 milhões, altas de 14,2% e 10,6%, respectivamente).

Em partes de calçados – cabedais, solas, palmilhas, saltos etc – as importações também registraram incremento significativo. No primeiro bimestre entrou no Brasil o equivalente a US$ 14,22 milhões, 91% mais do que no mesmo período de 2017. As principais origens foram China, Paraguai e Vietnã.

Confira todas as tabelas referentes ao bimestre clicando AQUI

Referências:Exportações de calçados caem no primeiro bimestre, 2018.Disponível em:”http://www.abicalcados.com.br/noticia/exportacoes-de-calcados-caem-no-primeiro-bimestre” Acesso em: 13 de março de 2018.

ANÁLISE DE CENÁRIOS ABORDA PANORAMA ECONÔMICO, POLÍTICO E SOCIAL PARA O ANO DE 2018

Resultado de imagem para cenario politico economico atual

O site da Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos informa (Assintecal):

“O  cenário econômico, político e social para o ano de 2018 será detalhado dia 12 de abril em mais uma edição do Análise de Cenários. O encontro acontecerá no Hotel Locanda, em Novo Hamburgo/RS, e será ministrado pelo professor do Programa de Pós-Graduação em Economia da Unisinos, Marcos Lélis, e pelo economista André Cunha, do Departamento de Economia e Relações Internacionais da UFRGS (Universidade Federal do Rio Grande do Sul).

Aberto ao público, as inscrições são gratuitas para associados das entidades Abicalçados, Assintecal e CICB e R$ 50,00 para não sócios. Os interessados podem entrar em contato pelo e-mail eventos@assintecal.org.br ou telefone 51 3584-5200
O Análise de Cenários apresenta as perspectivas para o Brasil e as previsões  no comércio exterior da cadeia coureiro-calçadista nacional. “Com as informações das tendências econômicas para 2018, os empresários poderão fazer um planejamento mais adequado à realidade”, destaca Lélis.
Esta edição será dividida em dois momentos. Confira a programação:
18h30: coffee receptivo
19h às 20h30: Análise de Cenários
Tema: Economia Internacional e Cenário Macroeconômico
Palestrante: André Cunha – Doutor em Economia pela Universidade Estadual de Campinas e possui pós-doutorado em Economia pela University of Cambridge. Trabalhou como assessor da diretoria do BRDE, lecionou na University of Leiden (Holanda) e na Unisinos, atualmente é professor do Departamento de Economia e Relações Internacionais da UFRGS.
Tema: Economia Brasileira e Setorial Calçadista
Palestrante: Marcos Lélis – com Mestrado pela UFRJ é Doutor em Economia do Desenvolvimento pela UFRGS. Atualmente é professor do Programa de Pós-Graduação em Economia da Unisinos. Tem experiência na área de Teoria Geral da Economia, atuando principalmente nos seguintes temas: Comércio Exterior, Economia Brasileira e Macroeconometria. Atua como consultor na área de Inteligência de Mercado da Abicalçados, Assintecal e CICB.
O Análise dos Cenários é realizado pela Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos (Assintecal), Associação Brasileira das Indústrias de Calçados (Abicalçados) e Centro das Indústrias de Curtumes do Brasil (CICB) e conta com o apoio da Abiacav, Abrameq e IBTEC.
Serviço
Análise de Cenários
Temática: Cenário Econômico, Político e Social para o ano de 2018
Data: 12/04/2018
Horário: 18h30
Local: Locanda Hotel ( R. Wendelino Henrique Klaser, 35 – Ideal, Novo Hamburgo – RS)
Clique aqui para fazer sua inscrição.
Para mais informações, entre em contato através do e-mail relacionamento@assintecal.org.br ou telefone 51 3584-5200.

Referências:Análise de Cenários aborda panorama econômico, político e social para o ano de 2018, 2018.Disponível em:”http://www.assintecal.org.br/noticias/332/-analise-de-cenarios-aborda-panorama-economico-politico-e-social-para-o-ano-de-2018” Acesso em: 12 de março de 2018.

FIMEC 2018 ENCERRA COM VISITAÇÃO QUALIFICADA E BONS NEGÓCIOS

Resultado de imagem para fimec 2018

O site da Associação Brasileira de Empresas de Componentes para Couro, Calçados e Artefatos informa (Assintecal):

“42ª edição chegou ao fim nessa quinta-feira, 8, e é vista como a melhor feira do últimos anos.

Em três dias, a Fimec renuiu expositores e visitantes em seus corredores e teve esta edição como um marco da recuperação do setor no país.

No último dia de evento, quinta-feira, 8, as entidades do setor coureiro-calçadista receberam a imprensa para uma coletiva que apresentou o balanço final da 42ª Fimec. Segundo o diretor-presidente da Fenac, Marcio Jung, essa foi uma feira marcada pela união da Fenac com as demais entidades do setor calçadistas.

“Todas entidades estão unidas para fazer essa feira acontecer de uma forma impecável e conseguimos” afirmou o diretor-presidente que ainda comentou sobre a qualidade da visitação nessa edição. “Figuras importantes do calçado brasileiro estiveram percorrendo os corredores da Fimec”, ressaltou.

A coletiva ainda contou com a presença de prefeita de Novo Hamburgo, Fátima Daudt, o presidente-executivo da Abicalçados, Heitor Klein, o presidente da Assintecal, Milton Killing, o presidente-executivo do CICB, José Fernando Bello, o presidente da ABQTIC, Alexandre Finkler, o presidente da ACI-NH/CB/EV, Marcelo Lauxen Kehl, o presidente da AICSul, Moacir Berger, o responsável pela pesquisa e desenvolvimento de produto do Studio10, Christian Tomas, e Paulo Coelho, da Coelho Assessoria Empresarial.

 

Segundo a Assintecal, as rodadas de negócios promovidas pela entidade trouxeram 11 compradores internacionais, vindos não apenas da América Latina, mas também de outros países como Estados Unidos e Rússia. Os negócios fechados nessas rodadas internacionais devem beirar os $15 milhões.

Visitação qualificada:

Um dos pontos ressaltados pelas entidades apoiadoras do evento foi a visitação qualificada. Os três dias de evento reuniram visitantes de todos os setores ligados ao couro e ao calçado.

Dentre os visitantes que passaram pelos pavilhões da Fenac, o comprador da Grendene Victor Liv, que já acompanha a feira há varias edições. “Eu visito a Fimec todo ano para estreitar relações com os fornecedores e também ver novidades. É muito importante ver o que o mercado está apresentando de novo”.

A designer de calçados femininos da Riachuelo, Amanda Oliveira, participou da Fimec para conhecer as novidades dos expositores quanto aos materiais e processos de fabricação do calçado. “Essa é a primeira vez que vim para a feira, e estou em busca de matéria-prima para o verão. Tenho encontrado bastante coisa, muitos itens legais e também mantendo contato com vários fornecedores”, comenta a designer.

 

Otimista, setor confirma fimec como impulsionadora de negócios:

Com um olhar mais otimista para o setor calçadista, a Fimec viu seus expositores apostarem no evento como um espaço fundamental para seus negócios. Segundo Thiago Staub, gerente comercial das Máquinas Klein, o evento é fundamental para os negócios da empresa a longo prazo. “Fazer negócios é sim um dos nossos focos, mas queremos principalmente fazer contatos que vamos desenvolver daqui a 60, 90 dias. É de grande relevância fazer esses contatos que vão nos gerar bons negócios no futuro”, afirma o gerente comercial.

 

Ações paralelas trouxeram conhecimento e informação aos visitantes:

Em um novo espaço, Fábrica Conceito e Estúdio Fimec ganharam destaque logo na entrada do evento. No Estúdio Fimec o foco é na informação de moda, inspiração e direcionamento para os visitantes quanto às novidades para as próximas estações. O tema Reconectar foi apresentado através de materiais e um ambiente lúdico e inspirador.

Na Fábrica Conceito, o funcionamento do maquinário exposto no evento atraí visitantes. Com a fabricação de calçados em tempo real, foco na tecnologia e aumento da produtividade, o espaço funciona como uma indústria. Na fábrica, os visitantes podem se atualizar quanto as novidades em maquinário de produção e processos que otimizam custos e tempo.

O projeto Sola (Sistema de Operações Logísticas Automatizadas), da Abicalçados (Associação Brasileira das Indústrias de Calçados) é um dos destaques da Fábrica. O sistema permite reduzir custos de produção, rastreabilidade, possibilidade de crossdocking e reposição automática, controles e organização para gestão dos negócios e inventário em tempo real.

 

Sucesso na primeira edição do fórum fimec:

Um dos destaques desta edição da feira foi o Fórum Fimec: Moda & Negócios. Em dois dias, o evento recebeu cerca de 600 pessoas em busca de conhecimento.

No primeiro dia, um bate-papo cheio de informação com Luana Lanzini, Fashion Designer & Trendforcaster e Luana Savadintzky, Fashion Directions que trouxeram informação de moda e apresentaram um pouco do que as marcas internacionais estão fazendo pelo mundo. Já a curadora Fashion, Claudia Bartelle comentou sobre estilo e ressaltou a forma como a moda está dinâmica e cheia de possibilidades.

Por fim, o estilista Alexandre Herchcovitch falou de sua experiência e atuação dentro da marca de luxo À La Garçone.

Já o segundo dia trouxe palestras sobre negócios. Larissa Dalto, supervisora comercial marketplace do Mercado Livre, ministrou a sobre Marketplace explorando todo esse universo e trazendo dados e estudos que apontam essa inovação no comércio online. Julio Martini, Chief Operating Officer da Camuto Group, provocou os visitantes a pensarem na produção de maneira diferente, e ainda expôs a forma como sua empresa trabalha com produção e importação de produtos.

Por fim, o vice-presidente executivo de manufatura da New Balance Estados Unidos John Wilson apresentou métodos de trabalho da marca e trouxe indicadores do futuro dos processos produtivos.

A edição de 2019

A 43ª Fimec (Feira Internacional de Couros, Produtos Químicos, Componentes, Máquinas e Equipamentos para Calçados e Curtumes) está marcada para os dias 26, 27 e 28 de fevereiro das 13 às 20 horas, nos pavilhões da Fenac, em Novo Hamburgo (RS).

Fonte: Costura Perfeita”

Referências:Fimec 2018 encerra com visitação qualificada e bons negócios, 2018.Disponível em:”http://www.assintecal.org.br/noticias/422/fimec-2018-encerra-com-visitacao-qualificada-e-bons-negocios” Acesso em: 09 de março de 2018.

POLO DE MODA DA SERRA GAÚCHA INAUGURA PRIMEIRA CENTRAL COLETIVA DE CAD E CORTE DO RS

Resultado de imagem para moda

“O Polo de Moda da Serra Gaúcha inaugura na segunda-feira, 12 de março, em Caxias do Sul, com a presença do Governador José Ivo Sartori, a primeira Central Coletiva de CAD e Corte do Rio Grande do Sul. O complexo de máquinas com tecnologia japonesa irá atender pequenas, médias e grandes empresas de confecção que hoje realizam esse processo de maneira manual.

O valor do investimento de R$ 1,6 milhão foi captado através de verba do BID (Banco Interamericano de Desenvolvimento) via Secretaria de Desenvolvimento do Estado. “Temos orgulho deste projeto ter sido aprovado. Com a Central incentivaremos a economia colaborativa visando o crescimento do setor da moda”, afirma Sidimar Remussi, presidente do Pólo de Moda.
Localizado no bairro Cidade Nova, a Central conta com o sistema de engenharia têxtil CAD, plotter de 2,20 metros, mesa digitalizadora de moldes e mesa de corte com insuflação, que permite fazer várias camadas, dos mais diversos tecidos, com corte preciso de peças.
“O projeto vem de encontro à uma necessidade das confecções: o corte de peças de roupas, que hoje é realizado de forma manual, causa grande desgaste físico aos profissionais”, comenta Remussi.
De acordo com ele, apenas grandes empresas, e nem todas, têm acesso a maquinário deste porte.
“O nosso objetivo é auxiliar as empresas neste processo, que é uma atividade-meio, tornando-as mais competitivas no mercado. A grande vantagem de utilizar a Central é a economia de tempo, índice de erro perto de zero e acesso à tecnologia de primeiro mundo de forma coletiva”.
Para desenvolver o projeto que concorreu ao edital, o Polo de Moda contou com trabalho voluntário formado por empresários.
A área administrativa ficará junto ao pavilhão, onde funcionará a Central, para acompanhar de perto toda operação. No dia 12, a associação recebe autoridades e comunidade para o evento de inauguração, às 9h30min.
Mais informações pelo e-mail polodemoda@polodemoda.com.br ou telefone (54) 3027- 4422.

Fonte: Costura Perfeita”

Referências:Polo de moda da serra gaúcha inaugura primeira central coletiva de cad e corte do RS, 2018.Disponível em:”http://www.assintecal.org.br/noticias/420/polo-de-moda-da-serra-gaucha-inaugura-primeira-central-coletiva-de-cad-e-corte-do-rs” Acesso em: 08 de março de 2018.08